27 outubro 2018 • Instituto Aurora

Na Minha Pele

Neste domingo ocorre o segundo turno das eleições no Brasil. Precisamos considerar a forma como cada candidato pensa sobre questões sociais e direitos humanos, pois são assuntos que afetam a nossa coletividade enquanto sociedade.

Hoje queremos compartilhar uma dica de leitura da Andrea Mayumi, jornalista e responsável pelo relacionamento com voluntários no Instituto Aurora. Dentre as questões abordadas no livro, estão ações afirmativas e discriminação.

“‘Na Minha Pele’, de Lázaro Ramos, é mais do que uma autobiografia do ator, é um relato sobre a percepção da própria identidade. Na obra, ele conta sobre a sua vida, desde as vivências na Ilha do Paty, onde nasceu, até a sua consagração como ator e apresentador.

No decorrer do livro, Lázaro vai abordando, em paralelo à sua trajetória pessoal, diversos aspectos sobre a questão do negro no Brasil. Por exemplo, sobre a representação midiática, seja em termos quantitativos (quantos atores negros vemos no elenco das novelas?) ou qualitativos (quais tipos de papéis eles são chamados para representar?). Ou, quando fala sobre os preconceitos sofridos por pessoas negras, relembrando que ele mesmo já foi confundido com um ladrão, e chamado de ‘macaco’ na época em que interpretava André Gurgel, em ‘Insensato Coração’.

Em dado momento, Lázaro fala sobre como a vida das pessoas negras acaba sendo de resistência. E lança a pergunta: ‘Uma vida de resistência é uma vida plena?’. Esse questionamento mexeu muito comigo, porque acho que conseguiu resumir todas as dificuldades enfrentadas pela população negra em uma só frase. E fica aqui meu convite para que seja feita esta reflexão”.

A sugestão no Instagram pode ser vista aqui.

Gostou desse conteúdo?

Assine a nossa newsletter e receba notícias do Instituto Aurora em seu e-mail.