08 março 2019 • Instituto Aurora

#MulheresQueLutamPorDireitos – Atena Daemi: ela sonha com o fim da pena de morte no Irã e acredita no ativismo pacífico

Aproveitamos o Dia Internacional da Mulher (08) para lançar uma série de postagens sobre mulheres que lutam pela defesa de direitos humanos essenciais pelo mundo.

A primeira que escolhemos lembrar foi Atena Daemi. Você sabe quem ela é? Conheça-a a seguir!

 

– Atena Daemi sonha com o fim da pena de morte no Irã. Isso a condenou a sete anos de prisão.

– Seu julgamento durou 15 minutos. Na ocasião, ela foi acusada de “se reunir e conspirar para cometer crimes contra a segurança nacional”, de “divulgar propaganda contra o sistema” e “insultar a República Islâmica do Irã”.

– As “provas” de atividade criminosa apresentadas contra ela foram publicações que Atena fez no Facebook e no Twitter criticando os altos índices de execuções no Irã, a participação em um protesto de solidariedade à família de uma iraniana executada em 2014, visitas aos túmulos de pessoas mortas nas manifestações das eleições presidenciais de 2009 e a distribuição de panfletos denunciando a pena de morte como uma punição cruel, desumana e degradante.

– Só em 2017, por exemplo, mais de 507 pessoas foram executadas no Irã. Muitas, em virtude de “confissões” feitas a partir de práticas de tortura conduzidas pelo governo iraniano.

– Atena foi detida pela primeira vez em 21 de outubro de 2014 e ficou por 86 dias na prisão de Evin. Passou 51 dias em uma solitária, sem direito a um advogado. Também foi obrigada a participar de abusivos interrogatórios, que chegaram a durar onze horas consecutivas.

– Em 2018, ainda presa mesmo tendo, por Lei, direito a aguardar por um julgamento coerente em liberdade, ficou por 12 dias sem comer. Fez isso em protesto contra as práticas abusivas de violação dos direitos humanos cometidas pelo governo do Irã. A greve só foi interrompida quando Atena recebeu uma carta de apelo enviada por várias defensoras de direitos humanos iranianas e de outras nacionalidades.

– Como Atena, dezenas de ativistas e defensores de direitos humanos foram detidos, estão presos ou vivem sob a ameaçadora e permanente vigilância do Estado iraniano, que faz isso com o propósito de impor o silêncio a essas pessoas.

– A Anistia Internacional criou um abaixo assinado que pede a libertação de Atena Daemi. Ele pode ser acessado aqui: bit.ly/libertemAtenaDaemi

Gostou desse conteúdo?

Assine a nossa newsletter e receba notícias do Instituto Aurora em seu e-mail.