16 maio 2019 • Instituto Aurora

Instituto Aurora promove evento “Humanidade Se Compartilha” em parceria com IFPR

O Instituto Aurora promove, em parceria com o Instituto Federal do Paraná Campus Curitiba e o Projeto Loucos Pela Vida, o evento “Humanidade Se Compartilha”, no dia 13 de junho de 2019, das 19h30 às 22h, no auditório do IFPR (Rua João Negrão, 1285), com entrada gratuita e aberta ao público.

Durante o evento seis palestrantes irão compartilhar suas histórias de vida, mostrando que todos nós temos uma humanidade em comum que nos une. Vamos nos conectar por meio da troca de experiências e nos aproximarmos uns dos outros.

Convidamos também os participantes a construírem um mundo melhor a partir de agora. No dia, receberemos doações de alimentos não perecíveis para a Pastoral do Migrante.

Palestrantes:

Edilayne Ribeiro

Edilayne Ribeiro é psicóloga, professora e pós-graduanda em Neuropsicologia. Membra da Comissão de Educação Inclusiva (CEI) da Universidade Tuiuti do Paraná e atualmente preside a ACESSIS, uma associação de Matinhos voltada a pessoas com deficiência.

Guilherme Bucco

Guilherme Bucco é formado em Desenho Industrial e tem pós-graduação em Comunicação Audiovisual. Apesar de gostar de contar história através vídeos, é na escrita onde se sente mais confortável para se expressar. Criou o Papai Atípico para compartilhar suas vivências como pai de uma criança com deficiência, e para compreender esse novo mundo que se abriu para ele.

Karollyne Nascimento

Karollyne Nascimento é coordenadora geral do Transgrupo Marcela Prado, membro consultora na comissão de diversidade e gênero da OAB, conselheira do COPED (Conselho Permanente de Direitos Humanos), da comissão de saúde integral, do Grupo de Trabalho do DEPEN (Departamento Penitenciário do Estado do Paraná), do comitê LGBT da Seju (Secretaria de Justiça, Trabalho e Direitos Humanos) e do Comitê de Saúde Sesa.

Lilian Machado

Produtora executiva, idealizadora e fomentadora de projetos protagonizados pelo projeto musical que integra, Tuyo, administra também as páginas oficiais e estratégias de redes sociais. Foi vocalista da banda Simonami, atua como vocalista e compositora na banda Tuyo, fez parte da coletânea Mil Tom em homenagem ao Milton Nascimento e também no Tributo ao Skank – Dois Lados (ambos produzidos por Pedro Ferreira. Apresentou-se no festival Bananada em Goiânia, Se Rasgum em Belém, El Mapa de Todos e Música de Rua no Rio Grande do Sul, Rec-Beat em Recife e se prepara para sua primeira viagem internacional, no line-up do Festival Colors Of Ostrava, na República Tcheca. Protagonizou espetáculos de abertura para shows de artistas como Rubel, Liniker e a norte americana The Internet. Realizou apresentações no Teatro Paiol e Ópera de Arame em Curitiba, Casa Natura e Audio em São Paulo, Circo Voador no Rio de Janeiro e também participou de edições do Sofar Sounds em Curitiba, Porto Alegre e São Paulo.

Ministrou oficinas de composição pelo Instituto Cervantes do Paraná tendo seu projeto envolvendo processos literários, música e slam contemplado pelo edital cultural da Petrobrás.

Marta Assis

Marta Assis, 52 anos, gaúcha natural de Cachoeira do Sul. Mãe de cinco filhos e avó de cinco netos. Embora filha de pais analfabetos, os livros e principalmente os gibis emprestados de um amigo eram sua melhor companhia. Depois de anos fora do ambiente escolar, retoma os estudos ingressando em uma turma do EJA na Escola Municipal José Mariano Beck. Após um ano começa a cursar o Ensino Médio no Colégio Padre Rambo, ao final do último ano inscreve-se no cursinho pré-vestibular popular Chama e faz sua inscrição para o vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, optando pelo curso de Biblioteconomia. Em 2013 obtém a graduação, após cinco anos de curso. Hoje exerce a tão almejada profissão em duas escolas da rede particular de ensino de Curitiba e entre livros, alunos e professores procura compartilhar sua paixão pelos livros através da mediação da leitura.

Myria Tokmaji

Myria Tokmaji é formada em Comunicação Visual e Design Gráfico na Faculdade de Belas Artes de Alepo, Síria. Refugiada no Brasil desde 2013, quando deixou sua cidade natal, depois de viver 2 anos na Guerra, teve uma trajetória desafiadora em um novo país, sem conhecer a língua ou costumes. Diante da nova realidade, Myria e sua família aprimoraram habilidades e comandam hoje a Yasmin Comida Árabe, e, com o irmão e cunhada, se apresenta com a banda Trio Alma Síria. Além disso, é designer de joias com a sua marca própria Ebla.

Gostou desse conteúdo?

Assine a nossa newsletter e receba notícias do Instituto Aurora em seu e-mail.