26 março 2019 • Instituto Aurora

De “Capital Ecológica” para “Cidade da Inovação”: Curitiba busca novo reconhecimento

Confira trecho de matéria da Gazeta do Povo sobre negócios com impacto social, que fala sobre a  atuação do Instituto Aurora

Negócios com impacto social têm ganhado espaço por todo o país, liderados por empreendedores que pautam sua estratégia em valores sustentáveis. No entanto, monetizar as atividades e colocar as contas em dia são ainda um grande desafio para esse segmento. Programas de incubação e aceleração dão apoio a empresas nascentes e podem ser um bom caminho para buscar o equilíbrio.

Desde sua criação, o Instituto Aurora se entende como uma instituição que poderia aprimorar e se profissionalizar. “Quando começamos era tudo muito informal, não tínhamos nem CNPJ. Éramos basicamente um grupo de mulheres pensando em projetos que trabalhassem a temática de direitos humanos e que pudesse transformar de alguma forma a nossa sociedade”, conta a jornalista e mestre em Direitos Humanos Michele Bravos. Ela é uma das idealizadoras do instituto que atua no Paraná, mas sonha expandir os cursos e palestras que realiza para todo o Brasil.

A instituição participou do Projeto Legado, programa de aceleração promovido pelo Instituto Legado que visa integrar e capacitar organizações que atuam em causas sociais ou ambientais. “Identificamos potencialidades e fraquezas que tínhamos para que a gente pudesse se apresentar ao mercado de uma forma mais atrativa. Aproveitamos muito dos aprendizados com esse foco nas startups para se perceber uma instituição profissional e para que empresas pudessem olhar para nós e contratar nossos serviços”, conta Michele. O instituto recebeu, em 2018, aporte financeiro do Fundo Elas e Instituto Avon, tendo sido uma das 13 instituições selecionadas entre mais de 600 inscritas no Brasil.

Em Curitiba, Instituto Legado é polo de empreendedorismo social. O trabalho da instituição é voltado a iniciativas de impacto socioambiental positivo, desde ONGs e entidades filantrópicas até projetos sociais dentro de grandes empresas. Atua também na formação empreendedora com programas de pós-graduação, nos formatos presencial e EaD, e o “socialworking”, um espaço de trabalho compartilhado voltado para empreendedores sociais.

No cenário nacional, a Artemisia foi pioneira e até hoje referência na aceleração de negócios de impacto. Criada em 2004, a organização sem fins lucrativos já acelerou mais de 100 negócios sociais e capacitou outros 300 em diferentes programas. A sede da aceleradora fica em São Paulo, mas busca negócios em todo país.

Atuando principalmente em Curitiba e Região Metropolitana, Michele acredita que existe na cidade um espaço para crescer e desenvolver negócios de impacto. “Eu vejo que há uma rede de empreendedores muito fortes em Curitiba, que se reúnem em eventos que acontecem semestralmente e anualmente, que trocam em grupos de WhatsApp. Uma rede disposta a se apoiar e crescer de forma coletiva”. Assim como em outros setores, a ideia é sempre aproximar e fomentar o ecossistema: “O empreendedorismo social reconhece que o projeto do outro pode somar ao meu.”

Leia a matéria completa aqui: De “Capital Ecológica” para “Cidade da Inovação”: Curitiba busca novo reconhecimento

Gostou desse conteúdo?

Assine a nossa newsletter e receba notícias do Instituto Aurora em seu e-mail.