28 junho 2019 • Instituto Aurora

Aurora Sugere: indicações de junho

Chegamos ao fim de mais um mês, e com isso trazemos as várias dicas – de livros a exposição de arte – que inspiraram toda a nossa equipe durante junho! Somos suspeitas para falar, mas tem bastante coisa imperdível nesta lista:

 

PARA LER: COMO SE RELACIONAR BEM USANDO A COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA

A Comunicação Não Violenta, desenvolvida pelo psicólogo Marshall Rosenberg, é uma abordagem que busca resgatar uma conexão real com nossas necessidades, compartilhando-as com as pessoas de um modo positivo. No livro de Thomas D’Ansembourg, a teoria de Marshall é trazida para o cotidiano. São exemplos práticos e próximos que nos fazem entender o que está por trás dessa comunicação não violenta e consciente. Enfim, é CNV para nossos conflitos mais simples!

Se você resiste um pouco à teoria, mas gostaria de dar um mergulho no universo da CNV, esta é a leitura certa 😉

 

PARA MARATONAR: TALES BY LIGHT + THE TRUE COST

Neste Aurora Sugere, trouxemos duas sugestões de documentários disponíveis no Netflix que estão ligados a um tema que tocamos no mês de junho: o trabalho infantil.


🎥 Tales By Light

A terceira temporada dessa série de fotojornalismo inicia com dois episódios que mostram uma viagem de Orlando Bloom, embaixador do UNICEF, para acompanhar o fotógrafo Simon Lister em Bangladesh, onde eles conhecem e denunciam o trabalho infantil.

🎥 The True Cost

Um documentário que mostra os custos humanos do fast fashion, que terceiriza a produção de roupas para países pobres, reduzindo os valores das peças e, junto com isso, também a dignidade dos trabalhadores.

 

PARA VER: EXPOSIÇÃO AI WEIWEI RAIZ

Na semana em que falamos sobre o Dia Mundial do Refugiado, a sugestão foi a exposição “Ai Weiwei Raiz”, que traz 40 obras e 15 vídeos para refletirmos sobre nossa humanidade.

A dica veio da Michele Bravos, diretora do Instituto Aurora, que conferiu de perto essa mostra no Museu Oscar Niemeyer e foi tocada pelo trabalho do artista chinês Ai Weiwei. Um dos principais nomes da arte contemporânea no mundo, ele traz para os nossos olhos temas como a crise global de refugiados e a luta pela liberdade de expressão e contra o autoritarismo.

Para Michele, o ponto alto da exposição é uma instalação que coloca um bote inflável exatamente no centro do Olho, espaço onde as obras estão. Essa instalação nos remete à condição em que as pessoas precisam sair de seus países, por vezes de forma inesperada, com poucos pertences pessoais e entregando a própria vida para transportes não regulamentos na esperança de que irão chegar a um país que ira acolhê-las. Ao ocupar esse local central, o bote tira estas pessoas da invisibilidade, nos fazendo um pedido silencioso para que ela não se perpetue.

A exposição Ai Weiwei Raiz é a primeira do artista no Brasil e também a maior de sua carreira, e fica em cartaz até o final de julho. Não dá pra não ir! 😉

 

PARA LER: JUSTIN

“Justin”, de Gauthier, apresenta a história de um homem trans. Nascido Justine, quando criança tinha a impressão de que “todo mundo” sabia que ele era um menino, menos os seus pais.

No dia do #OrgulhoLGBTQ, nosso #AuroraSugere não poderia trazer outro tipo de história.

O livro que indicamos narra diversos momentos da vida de Justin, mostrando a incompreensão familiar e social, o sentimento de inadequação com o próprio corpo, a confusão entre identidade de gênero e orientação sexual, a tentativa de se adaptar ao que seria socialmente considerado correto. A partir do momento em que Justin consegue aceitar quem é, passa a “viver de verdade”, ainda que tenha que enfrentar preconceitos, inclusive de psiquiatras.

Alguém por aí já leu?

Gostou desse conteúdo?

Assine a nossa newsletter e receba notícias do Instituto Aurora em seu e-mail.