30 agosto 2019 • Instituto Aurora

Aurora Sugere: indicações de agosto

No mês de agosto, todas as indicações do Aurora Sugere procuraram valorizar algo que está no coração do nosso trabalho: a educação. Projetos, podcasts, livros e blogs que falam diretamente sobre educação ou a trazem de alguma forma até nós estão entre as sugestões que a nossa equipe selecionou para compartilhar com vocês. Vamos conhecê-las?

 

PARA CONHECER E COMPARTILHAR: Plano de Menina

Viviane Duarte acreditou que conectar meninas a conteúdos transformadores compartilhados por mulheres poderia mudar histórias de vida. E assim essa jornalista criou o Plano de Menina, projeto que tem como objetivo levar empoderamento às meninas de diversas comunidades do Brasil para que elas se tornem protagonistas de suas histórias.

Assim como a Viviane, nós também acreditamos no poder de uma menina com planos. E por isso apadrinhamos o Plano de Menina aqui em Curitiba, junto com a Tayná Leite. O projeto está acontecendo no Lar Hermínia Scheleder, em Colombo. E participam dele meninas do Lar e também do Instituto Beija-Flor, localizado no mesmo município.

Além de presencial, o Plano de Menina também amplia seu alcance de forma digital, com uma plataforma que traz conteúdos diversos sobre beleza, educação financeira, equidade de gênero e outras temáticas. Conheça e mostre para uma menina!

 

PARA ACOMPANHAR: Blog Papai Atípico

A proximidade com o Dia dos Pais nos fez refletir sobre paternidade e quisemos compartilhar com vocês um local para pensar exatamente nisso: o blog Papai Atípico. Escrito por Guilherme Bucco, o blog nasceu de uma percepção sobre solidão. Pai de Dora, uma criança com deficiência, ele começou a ver que não encontrava na internet muitos relatos de outros homens vivendo essa situação. E sentiu falta desse compartilhamento.

No blog, Guilherme procura dividir as alegrias e as angústias de sua paternidade… que pode ser como outra qualquer. Como ele mesmo escreve em um dos textos, “porque, apesar de cada situação ser individual, nós nunca estamos sozinhos”.

Boa leitura!

 

PARA OUVIR: Olhares Podcast

No dia 13 de agosto, dois movimentos importantes se entrelaçaram para crescerem juntos. A Primeira Marcha das Mulheres Indígenas se uniu à Marcha das Margaridas, na capital do país. Juntas, mulheres indígenas e mulheres trabalhadoras dos campos e das florestas do Brasil marcharam em defesa dos seus direitos, dos seus territórios e dos seus corpos.

Para entender melhor essa união e as potencialidades de cada uma dessas marchas, indicamos para vocês o episódio sobre este tema do Olhares Podcast, um projeto incrível sobre mulheres e suas lutas, a partir de suas próprias perspectivas. Nesse episódio, as convidadas Sonia Guajajara e Mazé Morais falam sobre a história das marchas e sobre as pautas que serão trazidas para os encontros de 2019.

É sobre união, é sobre denúncia à retirada de direitos, é sobre resistência, é sobre propor um futuro melhor. Ouça: bit.ly/podcast-marchadasmulheres

 

PARA APRENDER: Projeto A Rota do Escravo

No Dia Internacional da Lembrança do Tráfico de Escravos e de sua Abolição a nossa dica do Aurora Sugere veio para ampliar a visão que temos sobre essa história. Afinal, “histórias podem ser usadas para destruir a dignidade de um povo, mas elas também podem reparar a dignidade perdida”, como nos explicou a escritora nigeriana Chimamanda Adichie, em seu TED sobre o perigo das histórias únicas.

Por isso, convidamos vocês a conhecerem o projeto A Rota do Escravo, lançado em 1994 pela Unesco para explorar e identificar as múltiplas questões éticas, culturais, sociais e políticas que envolveram – e ainda envolvem – a escravidão dos povos africanos. Porque não podemos reduzir as pessoas que foram escravizadas e o seu legado a esta dor!

 

PARA LER: “Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade”, de bell hooks

Para encerrar bem o Aurora Sugere de agosto, nossa diretora Michele Bravos trouxe uma sugestão para chacoalhar as ideias e nos fazer pensar sobre o modelo – ultrapassado – de educação bancária que vivemos no Brasil e em outros países.

“Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade”, de bell hooks, é um livro que nos faz lembrar que a educação precisa ter um propósito: e ele não pode ser depositar conteúdo sobre os estudantes. Esse propósito deve ser proporcionar o desenvolvimento humano, por meio da troca de saberes entre estudantes e educadores.

Uma obra que vê o universo da sala de aula como um espaço potencial para o desenvolvimento do senso de comunidade e, por sua vez, de valorização das diferenças e construção de uma cultura livre de preconceitos.

O que acharam das dicas deste mês?

Gostou desse conteúdo?

Assine a nossa newsletter e receba notícias do Instituto Aurora em seu e-mail.